23 de Setembro de 2019

Notícias

Prefeita participa de encontro com Quebradeiras de Coco

O encontro teve a presença da vice-governadora, Regina Sousa, e do deputado estadual Francisco Limma

A prefeita de Esperantina, Vilma Amorim, se reuniu com o Movimento Interestadual De Mulheres Quebradeiras De Coco Babaçu no fim de semana. Elas solicitaram a criação da Secretaria Estadual de Direitos Humanos e de Delegacias Regionais da Mulher. O encontro contou com a presença da vice-governadora do Piauí, Regina Sousa, e com o deputado estadual Francisco Limma (PT).

 

A coordenadora do MIQCB, Francisca Nascimento, disse que a solicitação da criação da Secretaria Estadual de Direitos Humanos foi feita ainda em 2018 à então senadora Regina Sousa. A coordenadora argumentou que o órgão será um aliado na luta das quebradeiras de coco por seus direitos. Ela relatou que no estado são mais de 50 mil mulheres que exercem a profissão e nem todas  fazem parte do MIQCB, que é uma entidade que luta em defesa dessas trabalhadoras.

 

Francisca Nascimento apresentou outras demandas da entidade. Uma delas é ter acesso livre aos babaçuais, pois a maioria está em fazendas de particulares. Elas pedem a elaboração e aprovação de projeto de lei que garanta esse acesso. Solicitaram ainda apoio para a comemoração do Dia Estadual das Quebradeiras de Coco, no dia 24 de setembro, com atividades em Luzilândia, e também para a Marcha Nacional das Margaridas a ser realizada nos dias 13 e 14 de agosto, em Brasília. 

 

Na oportunidade, a prefeita Vilma Amorim reforçou a importância do movimento para a região dos Cocais. “Tratamos de projetos de beneficiamento do coco babaçu que estão sendo implementados com recurso de emendas parlamentares de quando Regina era senadora, além da questão organizacional do movimento”, disse a prefeita.

 

A vice-governadora informou que a criação da Secretaria Estadual de Direitos Humanos ainda não foi possível devido à situação financeira do Estado. "A ideia não morreu, quando for possível, será criada", disse Regina Sousa. Ela informou que foi criada a Superintendência de Direitos Humanos na estrutura da Secretaria de Estado da Assistência Social, Cidadania, Trabalho e Direitos Humanos (Sasc), que já está realizando ações. 

 

Sobre as delegacias especializadas da mulher nos municípios, Regina Sousa explicou que o Estado está com dificuldade financeira. "Não adianta criar órgão e ele não funcionar", destaca. Ela informou que a criação das delegacias regionais é pauta da Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres. E em relação ao Dia Estadual das Quebradeiras de Coco Babaçu, sugeriu que o MIQCB procure a Superintendência de Relações Sociais e solicite o apoio para as atividades.