15 de Novembro de 2019

Notícias

Setembro Amarelo: Esperantina promove ações de valorização à vida

A proposta é capacitar profissionais para o acolhimento adequado.

Setembro é o mês de valorização da vida e prevenção ao suicídio, e, neste ano, a Prefeitura de Esperantina realiza uma série de ações com o intuito de capacitar profissionais da educação e da saúde para o acolhimento adequado. A campanha Setembro Amarelo teve abertura na terça-feira (3), na Unidade Básica de Saúde (UBS) Bernardo Rêgo, e vai até o fim do mês.

 

A proposta da campanha, conforme explica a secretária de Saúde de Esperantina, Elizângela Amorim, é capacitar os professores, educadores e profissionais da saúde (médicos, enfermeiros, agentes de saúde e técnicos de Enfermagem), para que reconheçam os sinais de risco e auxiliem ou encaminhem para o tratamento.

 

“É importante que a gente dialogue sobre o assunto, porque, muitas vezes, com a orientação, apoio e compreensão de uma situação ou problema, conseguimos preservar vidas. Pais, familiares e profissionais que acompanham crianças e adolescentes podem perceber alguns indicadores de comportamento autolesivo. Por isso, estamos reunindo esses profissionais para rodas de conversa e trocas de informações que visam reconhecer sinais de risco, necessidade de auxílio psicossocial, entre outras formas de prevenção”, explica.

 

As atividades são conduzidas por psicólogos do Núcleo de Atenção à Saúde da Família (NASF) e do Centro de Atenção Psicossocial (CAPs). “O foco da nossa ação serão os profissionais da saúde e da educação, que se tornarão multiplicadores de informação para a prevenção de casos. Serão contemplados os professores das escolas que ficam no território de cada UBS. Iniciamos com as escolas do Km 7 e do Assentamento Prazeres, aqui na UBS Bernardo Rêgo”, conta.

 

Dados da Organização Mundial da Saúde mostram que o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. Os mesmos dados ainda afirmam que cerca de 800 mil pessoas tiram a própria vida no mundo, a cada ano.

 

Mesmo se tratando de um grave problema de saúde pública, o suicídio pode ser evitado se identificado em tempo prévio. Para a prefeita de Esperantina, Vilma Amorim, a campanha serve para lançar um olhar de esperança e atenção sobre os cuidados com a saúde mental.

 

“É o momento propício para somar forças, pois se trata de um tema sério. A Prefeitura de Esperantina está fazendo a sua parte, o CAPs está de portas abertas com profissionais qualificados (psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros e psiquiatras) para conversar e atender quem estiver precisando. Conversar e buscar ajuda continuam sendo as melhores alternativas. Essa é uma bela iniciativa de promover o debate com os profissionais das escolas, para esclarecer, ouvir e incentivar a busca pelo tratamento adequado”, conclui.